O eclipse da Igreja

5, maio, 2021 | Artigos | 0 Comentários

 
Por Arcebispo Carlo Maria Viganò
 

De 6 a 8 de maio de 2021, acontecerá a quinta Conferência Internacional do Vaticano, intitulada Explorando a Mente, o Corpo e a Alma. União para prevenir e união para curar. Uma Iniciativa Global de Saúde: Como a inovação e os novos sistemas de entrega melhoram a saúde humana. O evento está sendo organizado pelo Conselho Pontifício para a Cultura, Cura Foundation, pela Science and Faith Foundation e pela Stem for Life.

Michael Haynes, do LifeSiteNews, relatou (aqui) os tópicos a serem abordados e os participantes, incluindo o infame Anthony Fauci, cujos escandalosos conflitos de interesse não o impediram de assumir a gestão da pandemia nos Estados Unidos; Chelsea Clinton, uma seguidora da Igreja de Satanás e uma forte defensora do aborto; o guru da Nova Era Deepak Chopra; Dame Jane Goodall, ambientalista e especialista em chimpanzés; os CEOs da Pfizer e Moderna; representantes da Big Tech; e uma série de abortistas, malthusianos e globalistas conhecidos do público em geral. A conferência recrutou cinco jornalistas proeminentes para serem moderadores, que são exclusivamente de veículos de mídia de esquerda, como CNN, MSNBC, CBS e Forbes.

Esta Conferência – junto com o Conselho para o Capitalismo Inclusivo de Lynn Forester de Rothschild, o Pacto Global sobre a Educação e o Panteão inter-religioso a ser realizado em junho em Astana, Cazaquistão – é a enésima escandalosa confirmação de um perturbador abandono da atual Hierarquia, e em particular de seus membros romanos mais elevados, da ortodoxia católica. A Santa Sé renunciou deliberadamente à missão sobrenatural da Igreja, tornando-se serva da Nova Ordem Mundial e do globalismo maçônico em um contra-magistério anticristão. Os mesmos Dicastérios Romanos, ocupados por pessoas ideologicamente alinhadas com Jorge Mario Bergoglio e protegidas e promovidas por ele, agora continuam incontidas em seu trabalho implacável de demolir a Fé, a Moral, a disciplina eclesiástica e a vida monástica e religiosa, num esforço tão vão quanto sem precedentes para transformar a Noiva de Cristo em uma associação filantrópica escravizada aos Poderes Fortes. O resultado é a sobreposição sobre a verdadeira Igreja de uma seita de Modernistas heréticos e depravados que pretendem legitimar o adultério, a sodomia, o aborto, a eutanásia, a idolatria e qualquer perversão do intelecto e da vontade. A verdadeira Igreja agora está eclipsada, negada e desacreditada por seus próprios Pastores, traída até mesmo por aquele que ocupa o trono mais alto.

O fato de a Igreja das profundezas ter conseguido eleger o seu próprio membro para levar a cabo este desígnio infernal de acordo com o deep state já não é uma mera suspeita, mas um fenómeno sobre o qual é agora necessário interrogar e esclarecer. A submissão da Cathedra veritatis aos interesses da elite maçônica manifesta-se em todas as suas evidências, no silêncio ensurdecedor dos Sagrados Pastores e na perplexidade do Povo de Deus, abandonado a si mesmo.

Outra demonstração dessa libido serviendi degenerada do Vaticano em relação à ideologia globalista é a escolha de palestrantes para dar depoimentos e palestras: partidários do aborto, do uso de material fetal em pesquisas, do declínio demográfico, da agenda LGBT pan-sexual, e por último, mas não menos importante, da narrativa de Covid e as chamadas vacinas. O cardeal Ravasi, presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, é certamente um dos principais representantes da Igreja profunda e do progressismo modernista, além de defensor do diálogo com a infame seita maçônica e promotor do famoso Pátio dos Gentios. Portanto, não é surpreendente que entre os organizadores do evento esteja a Fundação Stem for Life, que orgulhosamente se define como “uma organização não sectária, apartidária, isenta de impostos e focada na criação de um movimento para acelerar o desenvolvimento de terapias celulares”.

Olhando mais de perto, o sectarismo e partidarismo da Conferência do Vaticano são evidenciados pelo tema que aborda, as conclusões que busca tirar, seus participantes e seus patrocinadores. Mesmo a imagem escolhida para promover a Conferência é extremamente eloqüente: um close-up do afresco da Criação de Michelangelo no teto da Capela Sistina, em que a mão de Deus Pai se estende em direção à mão de Adão, mas com ambas as mãos cobertas por material descartável luvas cirúrgicas, relembrando os regulamentos da nova “liturgia da saúde” e sugerindo que até o próprio Senhor poderia espalhar o vírus.

Nessa representação sacrílega, a ordem da Criação é subvertida em anticriação terapêutica, na qual o homem se salva e se torna o autor louco de sua própria “redenção” de saúde. Em vez da pia purificadora do Batismo, a religião Covid propõe a vacina, portadora de deficiência e morte, como único meio de salvação. Em vez de Fé na Revelação de Deus, encontramos superstição e o assentimento irracional a preceitos que nada têm de científico sobre eles, com ritos e liturgias que imitam a verdadeira Religião em uma paródia sacrílega.

Essa escolha de imagens soa aberrante e blasfema, pois usa uma imagem conhecida e evocativa para insinuar e promover uma narrativa falsa e tendenciosa que diz que na presença de uma gripe sazonal, cujo vírus ainda não foi isolado de acordo com os postulados de Koch (aqui) e que pode ser efetivamente curada com os tratamentos existentes, é necessário administrar vacinas que se admitem ineficazes e que ainda estão em fase de experimentação, com efeitos colaterais desconhecidos, e cujos produtores obtiveram um escudo criminal de imunidade para sua distribuição. As vítimas imoladas no altar Moloch da saúde, de crianças desmembradas no terceiro mês de gravidez para produzir o soro do gene às milhares de pessoas que foram mortas ou mutiladas, não param a máquina infernal da Big Pharma, e é de se temer que haja um ressurgimento do fenômeno nos próximos meses.

A Conferência, obviamente, cuidará muito de não mencionar, mesmo que indiretamente, o perene ensinamento do Magistério sobre as questões morais e doutrinais da maior importância. Por outro lado, o elogio bajulador da mentalidade mundana e da ideologia dominante será a única voz, junto com o repertório ecumênico amorfo inspirado na Nova Era.

Observo que em 2003 o mesmo Conselho Pontifício para a Cultura condenou a meditação ioga e, de maneira mais geral, a Nova Era considerada incompatível com a fé católica. De acordo com o documento do Vaticano, o pensamento da Nova Era:

“compartilha com vários grupos de influência internacional o objetivo de substituir ou transcender religiões particulares a fim de criar espaço para uma religião universal que possa unir a humanidade. Intimamente relacionado a isso está um esforço muito concentrado por parte de muitas instituições para inventar uma Ética Global, uma estrutura ética que refletisse a natureza global da cultura, economia e política contemporâneas. Além disso, a politização das questões ecológicas certamente colore toda a questão da hipótese de Gaia ou adoração da mãe terra ”(2.5).

Nem é preciso dizer que as cerimônias pagãs com as quais a Basílica de São Pedro foi profanada em homenagem ao ídolo da pachamama se encaixam perfeitamente nessa “politização das questões ecológicas” denunciada pelo documento do Vaticano de 2003 e que hoje é promovida sine glossa pelo tal do magistério bergogliano, começando com Laudato Sì e Fratelli Tutti.

Em La Salette, Nossa Senhora nos avisou: “Roma perderá a fé e se tornará a sede do Anticristo”. Não será a Santa Igreja, indefectível pelas promessas de Cristo, que perderá a Fé: será a seita que ocupa a Sé do Santíssimo Pedro e que hoje vemos propagando o anti-evangelho da Nova Ordem Mundial. Já não é possível calar-se, porque hoje o nosso silêncio nos faria cúmplices dos inimigos de Deus e da raça humana. Milhões de fiéis estão revoltados com os inúmeros escândalos dos Pastores, com a traição de sua missão, com a deserção daqueles que pelas Ordens sagradas são chamados a testemunhar o Santo Evangelho e não a apoiar o estabelecimento do reino do Anticristo .

Peço aos meus Irmãos no Episcopado, aos sacerdotes, aos religiosos e, de modo particular, aos fiéis leigos que se vêem traídos pela Hierarquia, que levantem a voz para expressar com espírito de verdadeira obediência a Nosso Senhor, Cabeça da Corpo Místico, uma denúncia firme e corajosa desta apostasia e de seus autores. Convido a todos a rezar para que a Divina Majestade seja movida pela compaixão e intervenha em nosso auxílio. A Santíssima Virgem, terribilis ut castrorum acies ordinata, interceda perante o Trono de Deus, compensando com os seus méritos a indignidade dos seus filhos que a invocam com o glorioso título de Auxilium Christianorum.

+ Carlo Maria Viganò, arcebispo

20 de abril de 2021
Feria Tertia infra Hebdomadam II
post Octavam Paschae

 
Inscreva-se em nosso canal no Telegram: https://t.me/editoradanubio
 
Siga-nos também no Instagram: https://www.instagram.com/danubioeditoraa/ 

Artigos recentes

A torta de maçã? Não coma, é racista

A típica torta de maçã, colocada sobre um pano e posta no parapeito da janela para esfriar, é um símbolo da América e da americanidade, mas esconde uma história de violência e opressão.

O Imperialismo Chinês e a Conquista do Brasil

Ao longo da história a expansão comercial foi muitas vezes a ponta de lança da conquista territorial. Não foram poucos os impérios que usaram este expediente: primeiro os negócios, depois as armas. Hoje, essa mesmíssima estratégia vem sendo implantada, com sucesso crescente, pelos imperialistas chineses, cada vez mais sedentos de domínio global.

Padre Júlio Kowalski (conto)

Conto de Luiz Cezar de Araújo, autor dos livros “A Vida é Traição” e “À Sombra do Pai”. Publicado na revista Estudos Nacionais.

Vírus e Leviatã

R$32,00

Em estoque

Detalhes do autor

Arcebispo Carlo Maria Viganò

Carlo Maria Viganò é arcebispo da Igreja Católica. Serviu como Núncio Apostólico nos Estados Unidos de 19 de outubro de 2011 a 12 de abril de 2016. Anteriormente, atuou como Secretário-Geral do Estado da Cidade do Vaticano de 16 de julho de 2009 a 3 de setembro 2011. 

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X