À Nossa Senhora do Rosário

17, mar, 2020 | Artigos | 0 Comentários

Soneto escrito por Ademir Amaral 

Entrego-te sonetos como rosas
Estenderia aos pés de tua imagem,
Suserana de minha vassalagem;
Que por eles a Fé das generosas

Almas que de Jesus foram esposas
Seja-me concedida na estiagem;
Que para tal efeito eles não trajem
As vestes de meu mérito, andrajosas,

Mas antes se recubram do valor
Da intenção mais devota e depurada
Que pode um coração de pecador

Alcançar, apesar de ter talhada
Cada uma de suas fibras pela dor
De tanta graça já desperdiçada.

 

Artigos recentes

O Destino Concreto do Ideal Político

A política é o terreno da frustração das expectativas, o cemitério das falsas esperanças. Frequentemente os ideais que impulsionam as mudanças políticas, por mais brilhantes e nobres que pareçam, tornam-se vulgares e nocivos ao serem confrontados com a realidade do poder.

Existe Literatura Conservadora?

Confira o vídeo da entrevista do escritor Diogo Fontana ao canal Conservadorismo Floripa. Tema da conversa: “existe literatura conservadora?”

Eça de Queiroz

Um Prefácio a Eça de Queiroz

A ilustre casa de Ramires, considerado por muitos o romance mais equilibrado, harmonioso e completo que escreveu, integra a terceira fase da obra de Eça de Queiroz.

Transcendência e História

R$79,00

Em estoque

Detalhes do autor

Ademir Amaral

Nascido em Pedra Preta, MT, em 1995, Ademir Amaral vive em Rondonópolis, MT, onde graduou-se em Ciências Biológicas. É aluno do Curso Online de Filosofia, do professor Olavo de Carvalho, e trabalha com revisão, tradução e ensino de idiomas.

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter!