À Nossa Senhora do Rosário

17, mar, 2020 | Artigos | 0 Comentários

Soneto escrito por Ademir Amaral 

Entrego-te sonetos como rosas
Estenderia aos pés de tua imagem,
Suserana de minha vassalagem;
Que por eles a Fé das generosas

Almas que de Jesus foram esposas
Seja-me concedida na estiagem;
Que para tal efeito eles não trajem
As vestes de meu mérito, andrajosas,

Mas antes se recubram do valor
Da intenção mais devota e depurada
Que pode um coração de pecador

Alcançar, apesar de ter talhada
Cada uma de suas fibras pela dor
De tanta graça já desperdiçada.

 

Artigos recentes

A torta de maçã? Não coma, é racista

A típica torta de maçã, colocada sobre um pano e posta no parapeito da janela para esfriar, é um símbolo da América e da americanidade, mas esconde uma história de violência e opressão.

O Imperialismo Chinês e a Conquista do Brasil

Ao longo da história a expansão comercial foi muitas vezes a ponta de lança da conquista territorial. Não foram poucos os impérios que usaram este expediente: primeiro os negócios, depois as armas. Hoje, essa mesmíssima estratégia vem sendo implantada, com sucesso crescente, pelos imperialistas chineses, cada vez mais sedentos de domínio global.

Padre Júlio Kowalski (conto)

Conto de Luiz Cezar de Araújo, autor dos livros “A Vida é Traição” e “À Sombra do Pai”. Publicado na revista Estudos Nacionais.

Transcendência e História

R$79,00

Fora de estoque

Detalhes do autor

Ademir Amaral

Nascido em Pedra Preta, MT, em 1995, Ademir Amaral vive em Rondonópolis, MT, onde graduou-se em Ciências Biológicas. É aluno do Curso Online de Filosofia, do professor Olavo de Carvalho, e trabalha com revisão, tradução e ensino de idiomas.

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X