Mário Ferreira dos Santos sou eu e sei do que escrevo

Mário Ferreira dos Santos sou eu e sei do que escrevo

Tomei café com um dos maiores lógicos do mundo – figura notável, não apenas pela sua relevância em campo tão disputado, mas também por sua proficiência lingüística: é um professor de Lógica que sabe falar, consegue terminar uma frase com sujeito-verbo-complemento, certamente um sobrevivente dos tempos antigos e ante-diluvianos.

ler mais
Deformações da História: Gnosticismo

Deformações da História: Gnosticismo

Voegelin salienta que as motivações das antigas especulações gnósticas são muito complexas. Estão sem dúvida relacionadas ao mistério e alienação resultantes das catástrofes políticas e da destruição civilizacional, causadas pela expansão imperial no ecúmeno ocidental durante os séculos que precedem e incluem a primeira era cristã.

ler mais
Um diplomata da atualidade

Um diplomata da atualidade

O “amor da pátria, não movido de prêmio vil” (Camões, Lusíadas) o Sr. Oliveira Lima tem sabido sentir e proclamar – e nenhum elogio maior se poderia, penso, fazer-lhe – sem nenhum desses reclamos gritantes nem dessas exibições que merecem, muitas vezes, se designem de “enfatuação”

ler mais
X